Improvisação para Músicos Clássicos

Improvisação para Músicos Clássicos

Psicologia e Técnicas

Por que é que os músicos com formação clássica, frequentemente têm medo da improvisação? Como podemos ultrapassar essa barreira?

Pretende-se com esta introdução à improvisação em estilos clássicos de música, responder a estas questões através da exploração da cultura e da pedagogia da formação clássica, assim como, com exemplos práticos e jogos simples de experimentação. Os participantes são convidados a propor partituras e a utilizar os seus próprios instrumentos para criar improvisações estilísticas estruturadas.

|Datas

4 e 5 de dezembro

|Duração

6 horas

|Horário

10h00 – 13h00

|A quem se destina

Músicos com formação clássica

|Participantes

12 (mínimo 8)

|Preço

60€

|Pagamento

Transferência

MBWay

Numerário


Jonathan Ayerst

Começou a estudar piano aos 5 anos, recebendo uma formação intensa desde cedo em canto coral nas escolas das catedrais de Truro e Wells. Nesta, conquistou uma bolsa para se especializar em piano. Teve ainda bolsas para estudar na Royal Academy of Music e em regime privado com Nellie Akopian. É pianista do Remix Ensemble Casa da Música desde 2000. Com este agrupamento, por vezes como solista, participou em grandes festivais e projectos pela Europa e trabalhou com os maestros Peter Rundel, Emilio Pomàrico, Reinbert de Leeuw, Stefan Asbury, Peter Rundel e Martin André.

Jonathan Ayerst desenvolve uma carreira paralela como organista desde 2000. Em 2004 foi nomeado organista principal da Igreja de St. Benet Fink, em Londres, cargo que ocupou durante dois anos. Em 2010 foi galardoado com o ARCO (Associate of the Royal College of Organists), recebendo também o Prémio Sawyer and Durrant. Em 2012 foi nomeado Fellowship of the Royal College of Organists. Em 2015, depois de concluir o Mestrado com distinção em Psicologia para Músicos na Universidade de Sheffield (com a tese Who wants to improvise a fugue?), foi premiado com a Charles Alan Bryars Organ Scholarship para iniciar um Doutoramento na mesma instituição, com o título Learning to improvise as a western classical musician: a psychological study.

Entre 2017 e 2018, estudou técnicas históricas de improvisação em órgão com Jürgen Essl na Musikhochschule de Estugarda. Desde 2018, tem -se apresentado por toda a Europa em recitais de obras improvisadas, particularmente em idiomas do período barroco.

Em 2010, Jonathan Ayerst fundou o Capella Duriensis, do qual é director musical. Este ensemble vocal é já reconhecido como embaixador da cultura portuguesa, tendo -se apresentado em festivais em Portugal Continental e nos Açores e realizado várias digressões no Reino Unido (catedrais de Wells e Bristol) e nos Países Baixos (“Fabulous Fringe” do Oude Muziek Festival, Utrecht). Mais recentemente, o ensemble assinou um contrato para três discos a editar pela Naxos com o título Portuguese Vocal Masterpieces of the 16th and 17th Centuries.

Project details