Ai, tu é que és o meu rapaz

Ai, tu é que és o meu rapaz

Mini-Ópera sobre a violência contra a mulher

[Estreia] 24 de fevereiro de 2024 – Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas – São Miguel, Açores

Sinopse
“Ai, tu é que és o meu rapaz” é uma peça que lê as palavras de violência redigidas num caso recente, conhecido de todos, e que descrevem, argumentam e justificam vários atos de agressão contra uma mulher que comete adultério. Aquelas palavras são incrédulas, sem sequer falar dos atos. Mas as palavras interessam e não se apagam. Nesta ‘cena operática’, a música acaba por ser uma tela de suporte que se desenrola, oprimida, ansiosa, nervosa.

Equipa
Uma criação do Quarteto Contratempus
Texto, Música e Dramaturgia Sara Ross
Encenação Teresa Arcanjo
Intérpretes Teresa Nunes (Soprano), Miguel Leitão (Tenor), Crispim Luz (Clarinete), Lauro Lira Lopes (Violoncelo) e Sérgio de A (Piano)
Desenho de Multimédia, operação de luz, som e multimédia Hugo Mesquita
Gravação Sonoplastia João Monteiro
Apoio à Luz Mariana Figueroa
Espaço Cénico e Figurinos Coletivo
Coordenação de Produção e Comunicação Marta de Baptista
Produção Executiva Jéssica Roque
Assistente de Produção e Comunicação João Pedro Rocha
Registo Fotográfico Pedro Sardinha

M/14
20 minutos

O Quarteto Contratempus é uma estrutura financiada pela República Portuguesa – Cultura / Direção Geral das Artes

Project details